quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Crawl - Como fazer a virada cambalhota

Crawl - Como fazer a virada cambalhota

Estudo da virada cambalhota em Competições de nado Livre.

Preciosos décimos de segundo têm sido perdidos em uma prova por viradas mal executadas, na maioria dos casos, por treinamento sem realização delas ou má execução, o que treina o atleta sem condição de efetuá-la corretamente em uma prova.

Muitas vezes, para nós técnicos, passa desapercebida uma falta de impulsão, uma aproximação mal feita da parede e uma falta de rapidez na retomada do nado.

Sendo pois, as viradas, um fator de triunfo, vamos partir de uma seqüência pedagógica que nos levará indubitavelmente a uma correta execução.

A Virada Cambalhota

Durante muito tempo os competidores infanto-juvenis se constituíram em um problema para o técnico, em razão da virada cambalhota pois não se desejava ocupar grande parte do tempo em treinos para isto, com receio de haver muita demora e criar um desânimo para o aprendiz.

O que acontece, na maioria das vezes, é que o técnico está tão ocupado em construir treino com metros e metros, que se esquece invariavelmente, de detalhes muito importantes, e, principalmente, da virada que não é apenas um detalhe, mas uma razão de triunfo.

Hoje, nós não podemos nos perdoar por erros assim, pois, o cronômetro gigante é, quase sempre, material operante em nossas piscinas e nós estamos livres para corrigirmos possíveis erros, acrescentar exercícios necessários e ensinar qualquer gesto aprendido.

Fundamentos em natação, devem ser desenvolvidos, desde o primeiro dia de aperfeiçoamento e, a virada, faz parte deles. Temos que idealizar material, situações e exercícios que venham sedimentar o néo-nadador, para que possamos treinar calmamente os que tiverem níveis elevados, que possuem mecânica apropriada e não se discuidam dos menores fundamentos.

Assim, vamos tentar colocar os meios que nos serão úteis para podermos concretizar os fundamentos da virada cambalhota:

1)

a) A explicação teórica da virada e o porque de suas posições;

b) Gravuras, filmes, slides;

c) Exercícios apropriados.

2) Domínio do corpo - Grupar o corpo e realizar a "tartaruga", deixando que a água o eleve, sem separar braços e pernas. (Ver Metodologia da Natação -prova de flutuação. E.P.V. 2a edição: 1978, pg. 10.

3) Grupar o corpo - deixar subir - estender o corpo - tornar grupar -voltar à posição inicial.


4) Flutuar em decúbito ventral - passar para decúbito dorsal.


5) Canivete

a) P.l. - De pé;

b) Procurar tocar os pés com as mãos, através de uma submersão.

c) Volta à posição inicial (P.l.).


6) Cambalhota Parada

a) P. I. - De Pé.

b) Levantar os braços;

c) Executar uma cambalhota para frente;


7) Nadar contando as braçadas e a cada três braçadas dar uma cambalhota para frente.


8) Um instrutor se coloca em pé junto à parede da piscina. O atleta vem nadando e ao se aproximar do instrutor, deixa que deslize a mão que está do lado dele, o instrutor pega seu pulso, puxa para frente, ao mesmo tempo que o traz para baixo e para trás. O nadador joga a cabeça em direção aos joelhos, pressiona as pernas para baixo com uma golfinhada.


9) O nadador faz um quarto (1/4) de parafuso para o lado que teve a mão segura.


10) As plantas dos pés se colocam contra a parede, estando estes com os dedos voltados para a lateral da piscina.


11) O corpo se aproxima da parede através de uma flexão das pernas.

12) Uma forte extensão das pernas arremessa o corpo para a frente que sai lateralmente.


13) Ao mesmo tempo que desliza, o corpo é endireitado.

14) O batimento de pernas é iniciado imediatamente.

15) Um dos braços inicia a puxada antes do corpo sair na superfície.

16) Na superfície há a retomada de nado, só havendo movimento respiratório após a 1ª, 2ª ou 3ª braçada, quando o nadador se sentir equilibrado na água. Depois que o exercício foi ministrado com a ajuda do instrutor, então ele é praticado sozinho.

17) Não podemos esquecer que o nadador deve, como na saída, ao impulsionar o corpo, manter os braços juntos aos ouvidos, não sobrepostas, como na saída.



Nenhum comentário:

Postar um comentário