domingo, 18 de outubro de 2015

Como tratar a contusão do atleta de natação

Como tratar a contusão do atleta de natação

Para sabermos o que fazer, temos que conhecer que existe uma dor já prevista no encaminhamento do treino, como também a rigidez muscular que devem desaparecer à medida que o trabalho progride e o atleta se adapte. Não sendo este motivo da dor no ombro, estaremos em face do início de uma lesão que poderá ser arrefecida se o técnico verificar na progressão de seu trabalho, localizar se existe algum erro que possa estar prejudicando o atleta e modificá-lo. Caso o mal persista, dar um repouso ao nadador, com aplicação de compressas quentes e, em caso de continuidade do mal, enviá-lo ao médico especializado.

O tempo de tratamento vai depender do local afetado, uma vez que há diferentes músculos que podem sofrer a ação do treinamento, como o tendão do biceps, o sub-acromial, o supra-espinhoso, o deltóide e, às vezes, o pequeno redondo.

A primeira coisa que devemos fazer é a suspensão do esforço. Geloterapia é um tratamento que utilizamos muitas vezes e que se constitui de aplicação de gelo no local, com fricções, seguida de uma colocação de calor, com menor tempo. Isto costuma diminuir e mesmo eliminar a dor no ombro.

Diatermia e ultra-som são os mais comumente utilizados, mas, às vezes, são acompanhados ou seguidos de remédios anti-inflamatórios por via oral ou injetados na área afetada.

É importante preparar um trabalho pós-tratamento que deverá se constituir de um treinamento escalonado, primeiramente apenas com sentido de adaptação ao trabalho e ir progredindo até que o atleta tenha condições de executar o suficiente para recomeçar o que parou, não sem antes garantir a técnica do movimento, para evitar novas contusões.


Nenhum comentário:

Postar um comentário